Marcadores

quinta-feira, 14 de abril de 2016

UM POUCO SÔBRE RESISTORES

Resistores

Resistores elétricos são componentes eletrônicos, cuja finalidade é oferecer oposição à passagem de corrente elétrica através de seu material. A essa oposição é dado o nome de "Resitência Elétrica".

Resistência Elétrica
Símbolo
Unidade
Ohm
Kilo Ohm
K = 10³
Mega Ohm
M = 10exp6
Os Resistores podem ser Fixos ou Variáveis, onde os Fixos são Resistores cuja resistência elétrica não pode ser alterada (apresentam dois terminais), já os Resistores Variáveis são aqueles cuja resistência elétrica pode ser alterada através de um eixo ou curso (Reostato, Potenciômetro).

Identificação dos Resistores
Os resistores são identificados através de um código de cores, onde cada cor e a posição da mesma no corpo dos resistores representa um valor ou um fator multiplicativo.
Cor
1º Algarismo
2º Algarismo
Fator Multiplicativo
Tolerância
Preto
-
0
10exp0
-
Marrom
1
1
10exp1
1%
Vermelho
2
2
10²
2%
Laranja
3
3
10³
-
Amarelo
4
4
10exp4
-
Verde
5
5
10exp5
-
Azul
6
6
10exp6
-
Violeta
7
7
-
-
Cinza
8
8
-
-
Branco
9
9
-
-
Ouro
-
-
10exp-1
5%
Prata
-
-
10exp-2
10%

Exemplos
1º Faixa - Vermelho=2
2º Faixa - Vermelho=2
3º Faixa - Fator Multiplicativo - Marrom=10exp1=10
4º Faixa - Tolerância - Ouro = 5%
Valor do Resistor = 22 x 10 = 220 5%
1º Faixa - Amarelo=4
2º Faixa - Violeta=7
3º Faixa - Fator Multiplicativo - Vermelho=10²=100
4º Faixa - Tolerância - Ouro = 5%
Valor do Resistor = 47x100=4700 ou 4,7K ou 4K7
1º Faixa - Vermelho=2
2º Faixa - Vermelho=2
3º Faixa - Fator Multiplicativo - Amarelo=10exp4=10000
4º Faixa - Tolerância - Ouro = 5%
Valor do Resistor = 22x10000=220000 ou 220K

Como determinar se a tolerância em relação ao valor do resistor
encontra-se dentro da faixa aceitável

Para determinarmos a aceitabilidade de um resistor basta seguir os passos abaixo:
1 - Determine o valor Nominal do resistor a ser medido através do código de cores (RNom);
2 - Meça o resistor com uma Multímetro na escala adequada para o valor Nominal (RMed);
3 - De posse dos dois valores anotados, utilize a seguinte fórmula:

E% = [(RNom. - RMed) / RNom]x100 onde:
E% - Erro Percentual
RNom - Resistência Nominal
RMed - Resistência Medida

4 - Compare o E% com a Tolerância Nominal do resistor. Se o E% calculado estiver dentro da faixa
da tolerância Nominal do resistor, então o resistor encontra-se dentro da faixa aceitável de erro.

Exemplo:
Imagine se desejásemos saber se o resitor acima de 220K encontra-se aceitável.

1 - RNom = 220K
2 - RMed = 217K
3 - E% = [(RNom. - RMed) / RNom]x100 ==> E% = [(220-217)/220]x100 = 1,4% de Erro
4 - A faixa de tolerância do resistor é Ouro=5%, portanto, 1,4% de Erro é aceitável para este resistor.

Associação de Resistores

Associação Série
É quando os resistores são associados um em seguida ao outro, sendo percorridos pela mesma corrente
V = V1+V2+V3
Req = R1+R2+R3
Exemplo

Associação Paralela
É quando os resistores da associação estão submetidos à mesma tensão. Seus terminais estão ligados nos mesmos dois pontos.
Req = 1/[(1/R1)+(1/R2)/(1/R3)] = 50K

Associação Mista
É uma associação onde, temos resistores em série e paralelo.Sendo a Resistência Equivalente, dependente dos pontos de referência.
Req = {1/[(1/R1)+(1/R2)/(1/R3)]} + R4 = 200K


Sendo assim, os resistores podem ser utilizados para:
- Limitar a passagem de corrente elétrica num determinado circuito;
- Gerar uma queda de tensão em determinados pontos de um circuito;
- Gerar calor.

Limitando a passagem de corrente elétrica em um circuito
Imagine um brinquedo, como por exemplo o Autorama. Existe um dispositivo de aceleração, onde quem controla é a pessoa que estiver brincando. Esse dispositivo é formado basicamente por resistências, onde ao passo que se acelera, ou seja, aperta-se o gatilho do acelerador, ocorre uma transição na comutação das resistências internas, da maior para a menor, fazendo com que a corrente aumente ou diminua. Quando o acelerador não estiver apertado a resistência é máxima, ou seja, não liberando corrente o suficiente para fazer com que o carrinho ande na pista, ao passo que quando o acelerador está totalmente apertado, ocorre uma transição para a menor resistência, sendo assim, há passagem de corente total, fazendo com que o carrinho corra ao máximo de sua velocidade.

Gerando uma queda de tensão num circuito
Imagine que você possui uma lâmpada que se acende com uma tensão de 3 Volts e deseja ligar essa lâmpada mas, você possui uma beteria de 12 Volts para alimentar o circuito. Sendo assim, você não pode ligar essa lâmpada com a tensão de 12 Volrs, pois queimará a lâmpada. Então a saída é desenvolver um circuito para fazer com que somente os 3 Volts necessários fique sobre a lâmpada. Para isso, utilizamos um resistor para fazer a função de queda de tensão. Isso é feito colocando-se um resistor em série com a lâmpada de forma a existir, sobre o resistor, uma queda de tensão de 9 Volts, ficando 3 volts restantes sobre a lâmpada.

Gerando calor através de um resistor
Imagine uma estufa para cristal (cristal é um componente vibratório que produz uma frequência alternada muito exata, porém somente se sua temperatura for mantida a uma temperatura constante). Um cristal, um resistor e um sensor de temperatura são alojados na estufa. Quando a corrente passa pelo resistor é produzido calor devido à resitência imposta pelo resistor para a passagem dessa corrente. Caso a temperatura da estufa caia, o sensor imediatamente percebe tal queda fazendo com que a corrente seja liberada, através de um outro circuito, para o resistor. Sendo assim, o resistor começa a se aquecer, mantendo a estufa sempre na mesma temperatura e fazendo com que o cristal funcione adequadamente.

terça-feira, 15 de março de 2016

FORUM PARA DICAS E EXCLARECIMENTOS DE NOBREAKS.

ESTA PÁGINA É DEDICADA PARA O FORUM DE DÚVIDAS A RESPEITO DO FUNCIONAMENTO DE NO-BREAKS.
ESTOU AGUARDANDO AS PERGUNTAS :

SER HACKER É BOM OU RUIM ?

O QUE É UM HACKER?

Existe um monte de definições do termo "hacker", a maioria deles tendo a ver com aptidão técnica e um prazer em resolver problemas e superar limites. Se você quer saber como se tornar um hacker, entretanto, apenas duas são realmente relevantes.
Existe uma comunidade, uma cultura compartilhada, de programadores experts e gurus de rede cuja história remonta a decadas atrás, desde os primeiros minicomputadores de tempo compartilhado e os primeiros experimentos na ARPAnet. Os membros dessa cultura deram origem ao termo "hacker". Hackers construíram a Internet. Hackers fizeram do sistema operacional Unix o que ele é hoje. Hackers mantém a Usenet. Hackers fazem a World Wide Web funcionar. Se você é parte desta cultura, se você contribuiu a ela e outras pessoas o chamam de hacker, você é um hacker.



A mentalidade hacker não é confinada a esta cultura do hacker-de-software. Há pessoas que aplicam a atitude hacker em outras coisas, como eletrônica ou música -- na verdade, você pode encontrá-la nos níveis mais altos de qualquer ciência ou arte. Hackers de software reconhecem esses espíritos aparentados de outros lugares e podem chamá-los de "hackers" também -- e alguns alegam que a natureza hacker é realmente independente da mídia particular em que o hacker trabalha. Mas no restante deste documento, nos concentraremos nas habilidades e dos hackers de software, e nas tradições da cultura compartilhada que deu origem ao termo `hacker'.
Existe outro grupo de pessoas que se dizem hackers, mas não são. São pessoas (adolescentes do sexo masculino, na maioria) que se divertem invadindo computadores e fraudando o sistema telefônico. Hackers de verdade chamam essas pessoas de "crackers", e não tem nada a ver com eles. Hackers de verdade consideram os crackers preguiçosos, irresponsáveis, e não muito espertos, e alegam que ser capaz de quebrar sistemas de segurança torna alguém hacker tanto quanto fazer ligação direta em carros torna alguém um engenheiro automobilístico. Infelizmente, muitos jornalistas e escritores foram levados a usar, errôneamente, a palavra "hacker" para descrever crackers; isso é muito irritante para os nós hackers de verdade e do bem é claro.

A diferença básica é esta: hackers constróem coisas, descobrem coisas. Mas os crackes as destróem de maneira estabanada, coisa de iniciante, tudo em nome da emoção e euforia.
Querem um exemplo? Ele aprende a fazer vírus através de arquivos txt e pronto: Já se acha o máximo e que pode dar em todo mundo aí começa a enviar para usuários desprevinidos como se fosse fotos por exemplo. Aí o usuário curiosao abre o arquivo e esse arquivo(vírus) formata o computador na hora.
Quem quiser ser um hacker de verdade e do bem, continue lendo, leia mesmo, tente entender Proxy, java, ftp etc. Se você quer ser um cracker, vá ler também o newsgroup alt.2600 e se prepare para se dar mal depois de descobrir que você não é tão esperto quanto pensa. E isso é tudo que eu digo sobre crackers.
Hackers resolvem problemas e constróem coisas, e acreditam na liberdade e na ajuda mútua voluntária. Para ser aceito como um hacker, você tem que se comportar de acordo com essa atitude. E para se comportar de acordo com essa atitude, você tem que realmente acreditar nessa atitude.


Mas se você acha que cultivar a atitude hacker é somente um meio para ganhar aceitação na cultura, roubar facebook dos outros, orkut quando era sucesso,  invadir urnas eletrônicas que é o maior filé e só o Brasil da corrupção se utiliza dessas urnas reprovadas em todo o mundo com algum intuito que quem é inteligente como eu e manja muito de informática,sabe porque não é? ou mandar programinhas bestas de bê a bá da informática zipados que depois de descompactado vai revelar para você a senha alheia e outras coisas secretas dentro do computador dos outros, está quadradamente enganado. Tornar-se o tipo de pessoa que acredita nessas coisas é importante para você -- para ajudá-lo a aprender e manter-se motivado. Assim como em todas as artes criativas, o modo mais efetivo para se tornar um mestre é imitar a mentalidade dos mestres -- não só intelectualmente como emocionalmente também.


Faça como eu, procure ensinar, dar suporte técnino a quem lhe solicitar e você ganhará muito mais.
Eu por exemplo, iniciei informática à quase 30 anos atrás quando que eu já era craque em eletrônica. Então meu primeiro pc foi uma 486, a té a placa mãe foi consertada por mim.
Eu a achei no "lixo", mas quando passou por minhas mãos, deixou de ser lixo.
Quem me ensinou informática naquela época, hoje me pergunta muitas coisas.



Então, se você quer ser um hacker, repita as seguinte coisas até que você acredite nelas:
Lembre-se que o mundo está repleto de problemas fascinantes esperando para serem resolvidos.
Ser hacker é muito divertido, mas é um tipo de diversão que necessita de muito esforço. Para haver esforço é necessário motivação. Atletas de sucesso retiram sua motivação de uma espécie de prazer físico em trabalhar seus corpos, em tentar ultrapassar seus próprios limites físicos. Analogamente, para ser um hacker você precisa ter uma emoção básica em resolver problemas, afiar suas habilidades e exercitar sua inteligência. Se você não é o tipo de pessoa que se sente assim naturalmente, você precisará se tornar uma para ser um hacker. Senão, você verá sua energia para "hackear" sendo esvaída por distrações como sexo, páginas inúteis da internet, dinheiro e aprovação social.
(Você também tem que desenvolver uma espécie de fé na sua própria capacidade de aprendizado -- crer que, mesmo que você não saiba tudo o que precisa para resolver um problema, se souber uma parte e aprender a partir disso, conseguirá aprender o suficiente para resolver a próxima parte -- e assim por diante, até que você termine.)



Não procure resolver o mesmo problema duas vezes para ficar ganhando dinheiro dos outros na manha.
Mentes criativas são um recurso valioso e limitado. Não devem ser desperdiçadas reinventando a roda quando há tantos problemas novos e fascinantes por aí.

Para se comportar como um hacker, você tem que acreditar que o tempo de pensamento dos outros hackers é precioso -- tanto que é quase um dever moral compartilhar informação, resolver problemas e depois dar as soluções, para que outros hackers possam resolver novos problemas ao invés de ter que se preocupar com os antigos indefinidamente. (Você não tem que acreditar que é obrigado a dar toda a sua produção criativa, ainda que hackers que o fazem sejam os mais respeitados pelos outros hackers. Não é inconsistente com os valores do hacker vender o suficiente da sua produção para mantê-lo alimentado e pagar o aluguel e computadores. Não é inconsistente usar suas habilidades de hacker para sustentar a família ou mesmo ficar rico, contanto que você não esqueça que é um hacker.)

Tédio e trabalho repetitivo são nocivos.


Hackers (e pessoas criativas em geral) não podem ficar entediadas ou ter que fazer trabalho repetitivo, porque quando isso acontece significa que eles não estão fazendo o que apenas eles podem fazer -- resolver novos problemas. Esse desperdício prejudica a todos. Portanto, tédio e trabalho repetitivo não são apenas desagradáveis, mas nocivos também.
Para se comportar como um hacker, você tem que acreditar nisso de modo a automatizar as partes chatas tanto quanto possível, não apenas para você como para as outras pessoas (principalmente outros hackers).
(Há uma exceção aparente a isso. Às vezes, hackers fazem coisas que podem parecer repetitivas ou tediosas para um observador, como um exercício de "limpeza mental", ou para adquirir uma habilidade ou ter uma espécie particular de experiência que não seria possível de outro modo. Mas isso é por opção -- ninguém que consiga pensar deve ser forçado ao tédio.


Liberdade é uma coisa boa.
Hacker são naturalmente anti-autoritários. Qualquer pessoa que lhe dê ordens pode impedi-lo de resolver qualquer que seja o problema pelo qual você está fascinado -- e, dado o modo em que a mente autoritária funciona, geralmente arranjará alguma desculpa espantosamente idiota isso. Então, a atitude autoritária deve ser combatida onde quer que você a encontre, para que não sufoque a você e a outros hackers.
(Isso não é a mesma coisa que combater toda e qualquer autoridade. Crianças precisam ser orientadas, e criminosos, detidos. Um hacker pode aceitar alguns tipos de autoridade a fim de obter algo que ele quer mais que o tempo que ele gasta seguindo ordens. Mas isso é uma barganha restrita e consciente; não é o tipo de sujeição pessoal que os autoritários querem.)

Pessoas autoritárias prosperam na censura e no segredo. E desconfiam de cooperação voluntária e compartilhamento de informação -- só gostam de "cooperação" que eles possam controlar. Então, para se comportar como um hacker, você tem que desenvolver uma hostilidade instintiva à censura, ao segredo, e ao uso da força ou mentira para compelir adultos responsáveis. E você tem que estar disposto a agir de acordo com esta crença.

Atitude não substitui competência.


Para ser um hacker, você tem que desenvolver algumas dessas atitudes. Mas apenas ter uma atitude não fará de você um hacker, assim como não o fará um atleta campeão ou uma estrela de rock. Para se tornar um hacker é necessário inteligência, prática, dedicação, e trabalho duro.
Portanto, você tem que aprender a desconfiar de atitude e respeitar todo tipo de competência. Hackers não deixam posers gastar seu tempo, mas eles idolatram competência -- especialmente competência em "hackear", mas competência em qualquer coisa é boa. A competência em habilidades que poucos conseguem dominar é especialmente boa, e competência em habilidades que involvem agudeza mental, perícia e concentração é a melhor.
Se você reverenciar competência, gostará de desenvolvê-la em si mesmo -- o trabalho duro e dedicação se tornará uma espécie de um intenso jogo, ao invés de trabalho repetitivo. E isso é vital para se tornar um hacker.



Habilidades básicas do hacker
A atitude hacker é vital, mas habilidades são ainda mais vitais. Atitude não substitui competência, e há uma certo conjunto de habilidades que você precisa ter antes que um hacker sonhe em lhe chamar de um.
Esse conjunto muda lentamente com o tempo, de acordo com a criação de novas habilidades. Por exemplo, costumava incluir programação em linguagem de máquina, e até recentemente não incluía HTML. Mas agora é certo que inclui o seguinte:

Aprenda a programar.


Essa é, claro, a habilidade básica do hacker. Em 1997, a linguagem que você absolutamente precisa aprender é C (apesar de não ser a que você deve aprender primeiro). Mas você não é um hacker e nem mesmo um programador se você souber apenas uma linguagem -- você tem que aprender a pensar sobre problemas de programação de um modo geral, independentemente de qualquer linguagem. Para ser um hacker de verdade, você precisa ter chegado ao ponto de conseguir aprender uma nova linguagem em questão de dias, relacionando o que está no manual ao que você já sabe. Isso significa que você deve aprender várias linguagens bem diferentes.
Ao invés de visitar sites porno que não edificam a vida de ninguém, muito pelo contrário você pega é uma porção de vírus gerados por eles próprios, visite o site do "Youtube" que tem uma porção de video aula explicada e mastigada de HTML, JAVA e outros.
Confira por lá, vale a pena. Eu José Joaquim recomendo. Ler é viver !




JOSÉ JOAQUIM SANTOS SILVA


jjsound45@gmail.com
jjsound51@r7.com
jjsound@latinmail.com

sábado, 13 de fevereiro de 2016

SEU CELULAR PODE SER UM ROTEADOR WIFI DO SEU PC

 

Recurso singular do seu Android permite que você utilize sua internet móvel (3, 4G ou Wi-Fi) em seu computador apenas utilizando o aparelho como modem via USB fácil fácil.

 
 
 
 
Transformar o seu celular em um roteador wireless é uma boa maneira de aproveitar a internet de banda larga que algumas operadoras oferecem. Ao usar um computador como receptor para compartilhar a internet do seu celular de modo sem fio, você pode transformar qualquer área com sinal no seu celular em um ponto de Wi-Fi. Todas as principais operadoras telefônicas oferecem serviços de dados de alta velocidade, então, possuir um plano ilimitado e um celular capaz de realizar essa função são os principais requisitos. Transformar o seu celular em um roteador wireless requer o uso de uma rede sem fio ad hoc, o que requer que um computador seja designado como hospedeiro.
 
 
 

  • Vá até o menu de aplicativos e entre nas configurações do aparelho.
  • Selecione Conexões sem fio e redes, caso o seu Android não possua, procure por “Mais..” em Redes móveis
  • Entre em Ancoragem e roteador Wi-Fi
  • Marque a caixa da Ancoragem USB
Logo após o processo irá aparecer que o sistema detectou uma nova rede, não importa qual firewall você use, sempre selecione “Redes Públicas” ou “Local público”, por questões de segurança. Caso não apareça nenhuma nova conexão,faça o download dos drivers para dispositivos Samsung.

 

terça-feira, 13 de outubro de 2015

COMPONENTES ELETRÔNICOS - RESISTORES

Qual a diferença entre componentes elétricos e eletrónicos?

Os componentes elétricos definem-se por serem dispositivos onde circula a corrente elétrica sem ser no vácuo ou em material semicondutor, os componentes eletrónicos, por outro lado, transmitem a corrente elétrico no vácuo ou em material semicondutor. Algumas definições incluem os componentes elétricos como uma subdivisão dos componentes eletrónicos.

Tipos de componentes:

  • Passivos- Definem-se como passivos os componentes que não necessitam de uma fonte de energia externa para funcionarem.
    (Resistores, capacitores, bobinas)
  • Ativos- Definem-se como ativos os componentes que necessitam de energia para executarem as suas funções
    (Transístores, válvulas terminónicas, circuitos integrados).

Como funcionam os componentes eletrónicos ?

Cada componente executa uma ou várias funções que podem ser usadas individualmente ou em conjunto com outros componentes. Algumas funções são simples (regular, diminuir ou dividir tensão) outras exigem alguma complexidade e uma estrutura com vários componentes. A tabela seguinte indica a função de cada componente electrónico, a sua constituição e base de funcionamento.




Existem duas normas que definem o símbolo usado para definir uma resistência elétrica. A norma IEEE Institute of Electrical and Electronics Engineers mais antiga e a mais recente IEC International Electro Technical Commissions.

Símbolo Resistor (Resistência Elétrica)

IEEE
IEC
simbolo resistencias
simbolo resistor
Simbolo gráfico da Resistência
A resistência é uma medida da oposição que a matéria oferece à passagem de corrente eléctrica. Os materiais são designados por condutores, semicondutores ou isoladores conforme a oposição que oferecem seja reduzida, média e elevada. A Lei de Ohm .
V = R I estabelece a relação existente entre a corrente e a tensão eléctrica aos terminais de uma resistência. O parâmetro R, designado resistência eléctrica, é expresso em ohm (note-se que na língua inglesa se distinguem os parâmetros resistance do elemento resistor).
A resistência eléctrica dos materiais pode ser comparada ao atrito existente nos sistemas mecânicos. Por exemplo, e ao contrário do vácuo, a aplicação de um campo eléctrico constante (força constante) sobre uma carga eléctrica conduz a uma velocidade constante nos materiais, situação à qual corresponde uma troca de energia potencial eléctrica por calor. Esta conversão é designada por efeito de Joule, cuja expressão da potência dissipada é
P= RI2 A resistência é um dos elementos mais utilizados nos circuitos. Existem resistências fixas, variáveis e ajustáveis, resistências integradas e resistências discretas, resistências cuja função é a conversão de grandezas não eléctricas em grandezas eléctricas, etc. Relativamente a estas últimas, existem resistências sensíveis à temperatura, como sejam as termo-resistências e os termístores, resistências sensíveis ao fluxo luminoso, designadas por foto-resistências, magneto-resistências, piezo-resistências, químio-resistências, etc.

Tipos de Resistências (Resistores)

resistor




















sábado, 26 de setembro de 2015

DIFERENÇAS ENTRE ANDROID E iPHONE

Algumas coisas o Android faz que o iPhone não faz e que o iPhone faz que o Android não faz !



domingo, 12 de abril de 2015

O MISTÉRIO DAS ONDAS CURTAS !!!

Foi após o ano de 1980 que os fabricantes tradicionais de transceptores para o Serviço de Radioamador tanto os americanos como os japoneses iniciaram a fabricação de equipamentos cujos receptores passaram a funcionar com uma cobertura total das ondas curtas, ou seja, fazem a recepção em banda corrida desde 1.8 MHz até os 30 MHz.

As ondas curtas referem-se à parte do espectro eletromagnético que corresponde às freqüências compreendidas entre 3 e 30 MHz.

Esse esquema aí abaixo é de um receptor de ondas curtas de montagem caseira. Lembro-me dos meus tempos de adolescentes, tempo em que fazia minhas montagens em placas de acrílico depois de fura-las com um pedaço de raio de bicicleta quente esse esqueminha aí funciona mesmo. E como amplificador podemos utilizar as caixinhas de som de computador, quero dizer a caixa ativa.
Mais a seguir, este é o tipo de antena recomendada para ondas curtas. Sua principal característica é a captação a longas distâncias, tornando possíveis comunicações tais como emissões radiofônicas internacionais (international shortwave broadcasting), radioamadorismo (ham radio) e coordenação de viagens a longa distância por estações móveis marítimas e recepção para os praticantes aficionados por DX.

 Como resultado da confecção e aprimoramento tecnológico, foi possível a escuta de muitos radioamadores e não tardou a surgirem pessoas que apenas ouviam o radio, dedicando-se a explorar as frequências fora das bandas de radioamador e para surpresa geral, foi nesta época que surgiram os primeiros sinais de rádio sumamente "estranhos".

Ao sintonizar o receptor do rádio nas freqüências ao redor das utilizadas em ondas curtas, na parte da manhã ou na parte da noite, existe sempre a oportunidade de se ouvir um certo número de estações que transmitem números e letras em diversos idiomas, como o espanhol, inglês, russo ou alemão.


Estas estações acabaram ficando conhecidas como “Estações de Números”.
As primeiras transmissões das misteriosas “Estações de Números”, foram escutadas pelos rádio-escutas em princípios dos anos 60, mas somente bem mais tarde, por volta da década de 80 que a coisa veio a despertar maior interesse, pois foi nesta época que os radioamadores e rádio-escutas começaram a observa-las melhor pois dispunham de melhores receptores, principalmente os de banda corrida e melhores antenas, surgindo também nesta época muita especulação sobre o assunto e sobre a finalidade destas estranhas estações, que realmente acabaram gerando muita confusão e muita “fofoca” nos meios 

Radioamadorísticos.

As principais perguntas até hoje permanecem em aberto.
Qual seria a finalidade destas estações?
Para quem estariam transmitindo estas estações?
O que estas estações estariam transmitindo?
Seriam previsões meteorológicas codificadas?
Seria talvez parte de um estranho sistema de balizamento?


Alguns radio-escutas inclusive chegaram a imaginar e afirmar categoricamente de que estas estações com suas transmissões formavam parte de algum projeto secreto para comunicar-se com “OVNI's”, assunto que naquela época estava ganhando muita evidencia em todo o mundo.

Mais tarde, chegou-se a uma espécie de consenso coletivo na qual estas transmissões seriam mensagens enviadas por diversas agencias de inteligência e espionagem de diversos países para seus agentes em campo aberto, único sistema de contato disponível para comunicar-se com os seus agentes.
Foi nesta mesma época que os radioamadores e radio-escutas mediante as técnicas de seguimento e radiogoniometria realizadas descobriram que os lugares de emissão dos sinais de rádio transmitido pelas “Estações de Números” localizavam-se na antiga Alemanha comunista do leste.
Abaixo outra montagem caseira de um receptor de OC notem o detalhe da montagem, o variável em primeiro plano. Bem bacaninha.

Eles também localizaram uma “Estação de Números na Alemanha Democrática do oeste.
Desta forma existiam estações nas duas Alemanhas, alem de também terem sido descobertas estações com as emissões iguais provindas da Nicarágua, Cuba e assim também de certas bases dos Estados Unidos.
Com estas descobertas, a teoria passou a ser quase uma certeza, sendo que finalmente acabou sendo confirmada por ex-espiões americanos e ingleses.
Aqui está mais um esquema de um receptor regenerativo mais simples ainda com apenas um transistor de efeito de campo.

Assim sendo, nesta época alguns dos ex-espiões americanos e ingleses aposentados que ao escreverem suas memórias divulgaram em seus livros que as “Estações de Números” fazem parte de um complicado sistema de comunicação e suporte das agências de inteligência e espionagem que fazem as transmissões destes sinais para enviar certas instruções necessárias aos seus agentes.

Porém, os radioamadores e os radio-escutas que possuem o habito de “corujarem” as freqüências se deram conta de que mesmo com a queda do muro de Berlim, com a unificação das duas Alemanhas, com o final da Guerra Fria, com a falência da antiga União Soviética com a guerra do Afeganistão, com a guerra do Iraque e até com a atual globalização, estas estações não reduziram suas transmissões como era de se esperar, todas estão transmitindo normalmente até os dias de hoje, inclusive as estações que se encontram nas duas ex-Alemanhas, continuam transmitindo com a normalidade de como sempre o fizeram, como que nada tivesse acontecido.

O mistério ainda permanece, já que as “Estações de Números” encontram-se desde a parte mais baixa das freqüências, como em 2 MHz e na parte mais alta das freqüências como em 26 MHz.
As transmissões são em CW e fonia.
Estas estações podem ser ouvidas a qualquer momento do dia, mas a sua atividade tende a ser maior desde as 00:00' UTC, às 08:00' UTC. Se você duvida, pode procurar que certamente irá encontrar.

A bizarra voz na estação de números russa

Perto de Povarovo, na Rússia, há uma estação de rádio que transmite um misterioso ruído continuamente há 20 anos.
Esta estação provocou muitas discussões e teorias malucas em diversos foruns de radioamadorismo do mundo todo, mas foi em uma segunda-feira que a coisa que já era estranha, se tornou ainda mais bizarra.
Em uma segunda-feira, dia 23, no lugar do monótono ruído, entrou uma voz que dizia claramente em russo:


“UVB-76, UVB-76 — 93 882 naimina 74 14 35 74 — 9 3 8 8 2 nikolai, anna, ivan, michail, ivan, nikolai, anna, 7, 4, 1, 4, 3, 5, 7, 4?.
Esta misteriosa mensagem foi clara e repetida por duas vezes.
Depois, a rádio voltou ao ruído, com algumas transmissões de voz distorcidas de vez em quando.
Segundo os radio-escutas, é possível também ouvir barulhos, como se alguém movimentasse coisas dentro da sala de transmissão.
Os radio-escutas relataram que, no início do mês, houve também uma voz falando em russo.
A estação UVB-76 é conhecida como “The Buzzer” pelos ouvintes.

Normalmente ela transmite um ruído monótono com frequência de 21 a 34 vezes por minuto.
Segundo os investigadores desta frequência, somente em três ocasiões o barulho foi alterado: em 1997, em 2002 e finalmente em 2006.
Rádios deste tipo não são raras. São estações de ondas curtas que transmitem vozes geradas por computador que repetem números, palavras, letras e códigos Morse.
Não se sabe ao certo a razão das mensagens, mas há suspeitas de que sejam direcionadas a agentes secretos.

The Buzzer – A rádio fantasma

Em meados de 1982 foram captados pela primeira vez sinais de uma misteriosa estação de rádio que não transmitia música, nem nada relativo a uma programação normal de rádio.
Ela enviava apenas alguns sinais de ondas curtas, que só podiam ser captados por rádios que recebem esse tipo de sinal.
Este mesmo sinal de onda curta geralmente é transmitido na freqüência de 4.625kHz (AM suprimida abaixo de uma faixa lateral de uma banda de freqüências) e é chamado de UVB-76 (Também, por vezes, é referido como UZB-76, ou MDZhB).

Esta rádio recebeu o apelido de The Buzzer (“a cigarra”, em tradução livre) pelos ouvintes, pois transmitia  um som vibrante que durava de 8 décimos de segundo até 3 segundos, repetindo-se entre 21 e 34 vezes por minuto, durante todas as horas do dia.
Até novembro de 2010, os tons de burburinho duraram aproximadamente 0,8 segundos, cada.
No último minuto o barulho pausado se tornava contínuo, ficando no ar até que o relógio marcasse uma nova hora.
Para completar todos os dias, das 07:00' da manhã até as 07:50', a transmissão ficava mais fraca, o que normalmente costuma acontecer com rádios normais, durante a madrugada, para diminuir o consumo e para possíveis manutenções.
Os sons emitidos pela Buzzer mudaram ao longo dos anos, porém não existe nenhum sentido nesses barulhos, do mesmo modo dos outros.
Em raras ocasiões, o sinal de alarme é interrompido e vozes surgem ao fundo, como se a transmissão fosse feita através de um microfone aberto, que capta acidentalmente (ou não) pessoas falando por perto.
Desde a descoberta da rádio, poucas vezes foram captadas vozes falando, mas elas eram sempre abafadas.
Em uma transmissão recebida no dia 03 de novembro de 2001 pôde-se ouvir isso: “Eu sou o 143. Eu não recebi o oscilador.

Esse material vem da sala de hardware
”.
Apesar de muita especulação, o verdadeiro objetivo desta estação permanece desconhecido para o público.
Freqüentemente, as conversas distantes e outros ruídos de fundo podem ser ouvidos por trás da campainha, sugerindo que os tons de zumbido venham de um dispositivo colocado atrás de um microfone ao vivo e constantemente aberto (em vez de uma gravação ou sons automatizados sendo alimentados através de equipamentos de reprodução) ou que um microfone possa ter sido ligado acidentalmente.
Mensagens de voz de UVB-76 eram muito raras até que uma onda súbita de atividade surgiu no segundo semestre de 2010.

Elas normalmente são dadas em russo por uma voz ao vivo e de forma repetida.
Pelo menos sete das tais mensagens foram ouvidas em mais de vinte anos de observações não-contínuas.
Alguns exemplos de mensagens incluem:

                    Ya UVB-76, Ya UVB-76. 180 08 BROMAL 74 27 99 14. Boris, Roman, Olga, Mikhail, Anna, Larisa. 7 4 2 7 9 9 1 4."
                     Em 1335 UTC de 23 de agosto de 2010: "UVB-76, UVB-76 93 882 74 14 35 NAIMINA 74."
( Gravação da transmissãos de 23 de agosto de 2010  )
Outras coisas que foram ouvidas incluem músicas e discussões, sugerindo que as transmissões de UVB-76 eram feitas em frente a um microfone aberto.
Além da UVB-76 existem outras duas rádios semelhantes, chamadas de E11 e E25.
As três são investigadas há muito tempo, porém ninguém jamais conseguiu localizá-las ou mesmo entender o que elas pretendem com essas transmissões, até mesmo o governo russo declarou que não sabe nada sobre elas.
Muitas teorias dizem que elas podem ser remanescentes da guerra fria e servem para monitorar acontecimentos em diversas partes do planeta.
Essa teoria foi baseada após algumas coordenadas serem ouvidas no meio dessas transmissões e apontarem diversos lugares do mundo, sendo um deles uma base em Povarovo (Rússia), localizado nas seguintes coordenadas (Latitude / Longitude = : 56°5′0″N 37°6′37″E / 56.083333°N 37.11028°E / 56.083333; 37.11028).
A região se encontrava a meio caminho de Zelenograd e Solnechnogorsk e 40 km (25 milhas) a noroeste de Moscou, perto da aldeia de Lozhki.

Sabendo disso o governo russo mandou pessoas para investigar o local e o resultado foi frustrante, pois o lugar parecia estar abandonado há anos, porém existiam algumas partes trancadas de tal maneira que não puderam ser acessadas.
Por esse motivo os segredos que essas salas guardam ainda são um mistério.
O objetivo da UVB-76, portanto, ainda não foi confirmado por funcionários do governo e nem oficiais de transmissão, no entanto, o ex-ministro das Comunicações e Informáticas da República da Lituânia escreveu que o propósito das mensagens de voz seria o de confirmar que os operadores de estações de recepção estão em alerta.
Observa-se que é super estranho o fato de que, como podemos ouvir pessoas falando em meio ao som da campaínha, ela não é uma coisa automatizada, e sim um som gerado numa sala e captado por um microfone… DURANTE 20 ANOS!
Outra coisa estranha, e que pouca gente sabe é que este sinal é transmitido em duas frequências diferentes. Uma para a Europa e outra para a America.
Outro detalhe que é importante observar é que este complexo de antenas requer um conjunto de investimento maciço, consumindo uma fabula de energia elétrica. Apenas para fazer “beeeeeep… beeeeep….”?


Muitos ouvintes já se reuniram afim de tentar decodificar a mensagem.
As suposições mais promissoras sugerem que os números talvez sejam relativos à coordenadas geográficas. Neste caso, eles levariam a um ponto do mar Báltico, entre a Noruega e a Rússia, onde há produção de petróleo e gás em larga escala e onde também o exército da Rússia estaria planejando testar mísseis antiaéreos. E se o Relato de um Mib não tivesse acabado, eu talvez dissesse que há ali um dos “pontos mágicos”.
Falando em estações de ondas curtas estranhas, existe uma conhecida como “pica-pau”.

 Qual será o objetivo e quais serão os mitérios por trás dessas estranhas transmissões originadas em diversos países?

Seria a transmissão de algum código referente à algum segredo o qual jamais poderia chegar à ser divulgado, ou seria algum tipo de "sinal guia" orientando "viajantes" à alguma localização específica? Bem, esse é mais um mistério que dificilmente será descoberto, e caso seja, provavelmente jamais será divulgado.


 O RÁDIO NOS DIAS ATUAISÉ possível se comparar o sucesso do surgimento do rádio com a febre que é a internet no mundo de hoje.
O ano do aparecimento do rádio foi 1895, naquele século para muitos povos era algo mágico ouvir aquela caixa de madeira falando.
Durante a segunda guerra mundial o rádio era o meio mais dinâmico de se obter informações muitas vezes até que instantâneas.
O rádio de ondas curtas já fora muito usado ao longo do século, mas após o surgimento do rádio AM e FM caiu muito o número de ouvintes de ondas curtas, isso também vale com o surgimento da televisão, que influencia muito na deixa de escutas de rádio.
Tivemos recentemente a expansão da rede mundial de computadores ( internet ) que se tornou uma febre inevitável. Milhões de pessoas no mundo acessam diariamente a internet seja para buscar informações, para entretenimento, ou para buscar conhecimento.
Houve também a expansão das redes de satélite, e com isso, algumas emissoras internacionais passaram a predizer o fim das ondas curtas.


Mais não foi bem assim, com toda essa tecnologia o rádio de ondas curtas continuou rompendo fronteiras segurando um grande número de ouvintes em todo o mundo.
O rádio ainda é o melhor e maior meio de comunicação, informação, e entretenimento, que independente de sua classe, raça ou cor, chega até você.
E com o aparecimento do rádio digital será muito mais agradável ouvir rádio.
Mais o rádio digital é outro assunto, você pode conferir na seqüência.
“Satélites falham, internet pode ser parada, ondas curtas é o único meio de se mandar uma mensagem e ter certeza que chegará ao seu destino”.

 Muitas pessoas ouvem radio mais não sabe o que ele é ao certo. Você sabe o que é o radio?
Radio é um sistema de comunicação através de ondas eletromagnéticas, que se propagam pelo o espaço. Devido as suas variáveis, as ondas radiofônicas de diferentes comprimentos são ultilizadas para fins destintos; em geral, identificam - se por sua ferquencia. As ondas mais curtas tem uma frequencia mais alta, as ondas longas tenhe uma frequencia mais baixa. No vacuo, toda radiação eletromagnetica se desloca em forma de ondas, a uma velocidade uniforme de 300.000 km por segundos.


Os sistemas normais de radiocomunicação constam de dois componentes basicos: o transmissor e o receptor. Os elementos fundamentais de um trasmisssor são um gerador de ocilações para gerar ocilações, para coverter a corrente eletrica em ocilações de uma determinda ferquencia de radio; um transdutor para converter a informação a ser transmitida numa voltagem eletrica variavél e proporcionais para controlar as variações na intensidade de ocilação ou na ferquencia da onda portadora.
Os componentes basicos de um receptor são: Uma antena para receber sa ondas eletromagneticas e converte - las em oscilações; Amplificadores para aumentar a intensidade desssas oscilações; equipamentos para desmodulação; um alto - falante para converter os impulsos em ondas sonoras receptivéis ao ouvido humano e; na maioria do receptores, osciladores de radio frequencia que possam "misturar -se!" com as ondas recebidas.

Esse livro é muito bom, tenho um e recomendo para quem gosta de ondas curtas ou da faixa dos 27 mhz aos 2 metros !!

 José Joaquim