Marcadores

domingo, 21 de agosto de 2016

TODA CAUTELA COM A ELETRICIDADE ESTÁTICA

Introdução

Quem trabalha no ramo da eletrônica e da computação de baixo nível sempre ouve recomendações para prevenir a eletricidade estática, descarregá-la ou utilizar pulseiras e embalagens antiestáticas. Realmente muito se fala a respeito, mas diversas pessoas ligadas à computação não possuem um conceito correto sobre este tipo de eletricidade e o que ela pode causar, por conta disso veremos alguns pontos importantes em relação ao assunto.

O que é?
Eletricidade estática pode ser considerada um excesso ou uma falta de elétrons (para entender o que é elétron consulte este artigo) em algum corpo ou local. Quando isso ocorre dizemos que este corpo ou local está carregado, seja positivamente (com falta de elétrons) ou negativamente (com excesso de elétrons) e está carga fica como que armazenada e quando tem uma oportunidade migra 
para outro corpo ou local tentando manter o equilíbrio elétrico entre as partes.

Como ocorre?

Todo corpo conforme entra em contato com outros corpos e até mesmo com o ar realiza troca de elétrons em si, em alguns materiais estes elétrons não podem se movimentar livremente entre os átomos e por assim dizer ficam quase parados (na verdade está em movimento, mas sem sair de sua órbita) na órbita do núcleo dos átomos sem passar de um átomo a outro. Por isso o termo “eletricidade estática”, a corrente elétrica existe a partir do momento que é criada uma diferença de potencial e então os elétrons fluem do ponto com excesso (negativo) para o ponto com falta de elétrons (positivo, mas por convenção se considera o fluxo do positivo para o negativo) e essa corrente se mantém até que seja estabelecido um equilíbrio entre as partes, ou seja, ambas possuam a mesma quantidade de elétrons. Quando utilizamos o termo “estática” para nos referir a eletricidade nos referimos a uma condição em que um corpo está carregado, ou seja, está com um número diferente entre prótons e elétrons pelo simples fato de ter perdido ou ganhado elétrons no contado com o ambiente. Isso causa uma necessidade de descarga para que o corpo volte a ser eletricamente equilibrado ou neutro.
 O problema é que quanto mais este corpo carregado entra em contato com meios não condutores ele armazena ainda mais carga, por exemplo, uma pessoa com excesso de elétrons cada vez que anda por um carpete se carregará ainda mais, visto o carpete não ser condutor elétrico e não permitir que os elétrons “fujam” do corpo da pessoa, e ao contrario transmitirá ainda mais elétrons pelo contato direto que é feito com ele. Essa pessoa então estará transportando uma enorme quantidade de carga negativa (eletricamente falando) e quando tocar em algo condutor, que possa retirar parte dessa carga e equilibrar o potencial elétrico isso será feito de forma muita rápida equilibrando os prótons e elétrons do corpo.


A descarga eletrostática 
Uma pessoa pode carregar consigo em seu corpo e em suas roupas uma pequena quantidade de elétrons a mais o que por sua vez possibilita uma corrente muito pequena da ordem de alguns miliamperes, mas em compensação a diferença de potencial em relação a outros corpos pode ser da ordem de alguns milhares de volts, para o ser humano isso não passará de um pequeno choque ao tocar no carro ou em uma maçaneta, mas ao entrar em contato com um componente eletrônico que funciona com alguns poucos volts e com baixa corrente poderá ser catastrófico.

domingo, 17 de julho de 2016



OLÁ AMIGOS !!!!




Quero informar para vocês que já está disponível no YOUTUBE,  em forma de pesquisa, 

"DETALHES DE UM NOBREAK"
ou através do link abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=clatCWvo59M

 

Então você que é usuário avançado que deseja saber mais sôbre nobreak ou está iniciando uma era de cinserto desses aparelhos sem danifica-los, se liguem neste vídeo e outros que virão por aí em breve ok?

Bem: falarei um pouquinho de nobreak deste espaço.

Para que serve um nobreak?

Primeiramente, o nobreak é uma fonte de alimentação ininterrupta, também conhecida pelo acrônimo UPS (sigla em inglês de Uninterruptible Power Supply) é um sistema de alimentação elétrica que, caso haja uma quebra de corrente, entra em ação alimentando os dispositivos a ele ligado. O seu uso é comum em computadores de mesa. Como exemplo, pode-se citar o No-Break.



Já o estabilizador é o dispositivo não confiável usado por muitas pessoas cujo  o mesmo destinado a controlar a tensão que abastece o computador, possibilitando, assim, o regular funcionamento do mesmo, e evitando, por conseqüência, danos decorrentes de eventuais oscilações de voltagem.
Mas não escapando da possibilidade do mesmo queimar seu computador, seu roteador, seu ultrassonógrafo, eletrocardiógrafo e outros.
Tomem muito cuidado.    vejam o vídeo em https://www.youtube.com/watch?v=clatCWvo59M




jjsound45@gmail.com

jjsound51@r7.com

sábado, 16 de julho de 2016

Para proteger o seu computador, Lcd, Ultrassonografo ou outro aparelho eletrônico da variação da rede elétrica, existem alguns equipamentos específicos no mercado, que são conhecidos como filtro de linha, nobreak e o estabilizador. Mas você sabe qual a diferença entre eles e o que cada um faz?
Entenda neste artigo quais as principais diferenças entre esses produtos e saiba como escolher o que melhor atende às suas necessidades:

Filtro de Linha Por Exemplo:

Os filtros de linha, também chamados popularmente de “réguas”, são dispositivos equipados com um fusível, varistores, capacitores e indutores. O objetivo deste equipamento é evitar a passagem de altas correntes para os aparelhos nele conectados. Quando isso ocorre, o fusível “queima”, ou seja, corta a energia que alimenta o filtro.
Os varistores, em combinação com capacitores e indutores, controlam a entrada de longos picos de voltagem, além de garantir filtragem contra altas frequências, produzidas por equipamentos como liquidificadores, batedeiras, alguns ventiladores, entre outros.



Estabilizador


O estabilizador é o equipamento utilizado, normalmente, para ligar computadores desktops e seus periféricos, como impressoras, monitores, alguns modelos de caixas de som etc. A função deste dispositivo, como o próprio nome sugere, é estabilizar a tensão elétrica de entrada, de forma que a saída forneça sempre a mesma tensão.
Pelo fato dos PCs terem componentes eletrônicos muito sensíveis, o uso de um aparelho destes é indispensável. Ele protege os equipamentos eletrônicos contra surtos de energia, ou seja, é muito semelhante ao filtro de linha. A diferença é que, normalmente, possui um transformador, que converte a tensão de entrada no valor correto usado nos computadores. Dessa forma, se a voltagem da residência é 220 V, utiliza-se um estabilizador para passar a voltagem para 110 V.
Mas, tenham um pouco de cautela; os estabilizadores não são confiáveis e podem danificar seu Pc. 


Nobreak

 Os nobreaks são estabilizadores com baterias internas. Quando ocorre queda na energia elétrica, o equipamento continua funcionando por um período de tempo. Dessa forma, o usuário pode salvar seu trabalho e desligar o computador de forma segura, sem colocar em risco os componentes eletrônicos internos dos dispositivos.

Os Nobreaks de acordo a capacidade e potência, às vêzes evitam o desligamento dos equipamentos na falta de energia elétrica
É importante salientar que existem dois tipos de nobreaks: online e offline. O modelo online faz o chaveamento para o uso da bateria no momento em que a energia é cortada. Já o offline demora uma fração de segundo para ativar a bateria. De modo geral, por ser mais caro, o primeiro é indicado principalmente para de quem tem um servidor ou um equipamento muito sensível. Entretanto, qualquer nobreak é maior e mais pesado do que simples estabilizadores.
Os mais simples custam, em média, a partir de R$ 170 reais. No entanto, aconselha-se examinar as características dos equipamentos que deseja conectar a ele para efetuar uma compra adequada. E lembre, este aparelho serve para que o usuário não perca dados importantes quando houver uma queda de energia. Não pense em comprá-lo para continuar trabalhando por horas sem energia elétrica.
Agora que você já sabe o que é um filtro de linha, um nobreak e um estabilizador, escolha aquele que mais tem a ver com a sua necessidade para proteger seu aparelho de possíveis danos causados por instabilidade elétrica. Se ainda tiver dúvidas sobre o tema, pergunte as jjsound45@gmail.com.
Espero que esse tutorial tenha sido útil para você que pretende comprar um desses elementos de proteção.
JOSÉ JOAQUIM SANTOS SILVA

quarta-feira, 4 de maio de 2016

TÉCNICOS PICARETAS

TÉCNICOS PICARETAS !!
POR JOSÉ JOAQUIM SANTOS SILVA

Dedico esta crônica aos meus bons colegas de eletrônica e informática espalhados pela grande Bahia e todo Brasil e meu desabafo frente aos péssimos profissionais que pensam que sabem eletrônica e informática mas na realidade depredam aparelhos alheios e fica por isso mesmo. ( até um dia)



O sucesso de todo profissional dedicado principalmente a manutenção eletrônica sempre dependeu de quatro fatores fundamentais:

-Profundo conhecimento de causa
-Instrumentação adequada
-Disponibilidade e conhecimento de peças
-Conhecimento de alguém de algum suporte técnico da marca do aparelho que esteja consertando.

 Esses dois primeiros fatores dependem exclusivamente de capacitação profissional mas o terceiro fator, foge totalmente do nosso mercado instavel por uma questão de preços e prazos .
O desrespeito ao consumidor é fantástico! Se depender de lá fora....Pior ainda.


Destaco também alguns fatores que podem levantar o técnico e torna-lo famoso e com credibilidade. Afinal por trás da fama, a qualidade.
Tais fatores estão disponíveis em nós mesmo.  São:
 -Foco (o que é que eu vou fazer mesmo?)
-Visão (como irei começar essa tarefa?)
-Ação (Ah, já sei o que vou fazer e como fazer. Agora vou iniciar o trabalho)




Para todos nós que somos brasileiros é vergonhosa, porém incontestável, a vertiginosa proliferação da incompetência, da desonestidade e da prostituição generalizada no setor de assistência técnica.
Trata-se de uma questão epidêmica que já vem se arrastando infelizamente por décadas a dentro de longas datas caindo sôbre o povão como uma chuva ácida, perniciosa, ruinosa e porque não dizer funesta?
E pelo que posso ver meus amigos do Melhores Dicas é que dentro desse contexto, o segmento de Informática não é exceção não e o pior, muito pelo contrário. 


Tem muitos picaretas por aí formatando HDs, ou farejando fotos pessoais sem a devida permissão do proprietário e invadindo privacidades dentro do próprio PC. Um perigo !!!
Outros, se metem a consertar Placa Mãe sem o devido instrumental, aí vem os danos e as desculpas esfarrapadas e o pior é que o cliente acredita nas desculpas e ainda acaba dando o pc danificado de presente ao picareta para ele usar como sucata. O cara danifica o PC do cliente, este resolve comprar outro, e ele ainda ganha o PC danificado por ele de presente para sucata.


Não quero e nem pretendo dizer que não hajam empresas sérias, competentes e compromissadas dentro do mercado de trabalho de modo algum. Por favor não vamos confundir ok?
Tem muita gente boa e honesta por aí. Posso afirmar com toda lucidez do mundo.
Porém com o devido respeito às nobrs exceções, refiro-me diretamente aos "MEIAS BOCAS" às "TRAMBITÉCNICAS" as "TABAJARAS" e aos "MECHANICOS" , enfim o meu repúdio a esses pervertidos que não só depôem contra a imagem de uma categoria profissionais queimando como se diz na gíria, o "FILME".
Gostaria de alertar aos proprietários de equipamentos eletrônicos defeituosos; Desde um simples
Controle remoto, Celular, Dvd até um gigantesco Tv de 52 polegadas, que tais equipamentos nas mãos de um técnico desonesto sem-vergonha, o risco de depredação é enorme. O preço final será certamente abusivo e com forte tendência a rejeição do orçamento e o aparelho ficar para ele de presente.
Daí, como resultado, vem o "homicídio doloso' contra o seu proprio equipamento. Vocês já pararam para imaginar?


É por isso que tem muito técnico meia-boca quebrando a cara com consertos de NoBreak. NoBreak é complicado e só conserta ele quem sabe eletrônica mesmo não é qualquer tinturazinha de eletrônica que vai capacitar o cara consertar NoBreaks não.

Para cada fato, uma comprovação imediata vejam bem:
Existem muitas intervenções técnicas anteriores ou posteriores mal-sucedidas ou seja, equipamentos que já passaram por várias mãos. Então quando chega nas minhas mãos por exemplo, é uma visão estarrecedora é como um paciente que entrou num hospital com uma simples gripe, e quando os familiares o retiram desse hospital, o cara já está com bronco-pneumonia e sendo assim terão que ser tentados a uma ressurreição forçada para se tentar salvar algo daquele aparelho não é verdade?

Infelzmente existe uma superdosagem de boa fé por parte de clientes ou proprietários de aparelhos que arriscam seus equipamentos às mais grotescas aberrações técnicas.


Individuos sem o menor conhecimento de eletrônica ou informática se for o caso, logo se revelam verdadeiros predadores de aparelhos.
Constantemente eu sempre me deparo com monitores LCD novinhos, ou televisores quase em garantia, cuja as vísceras já foram dilaceradas por esses metralhas ou por maldade, crueldade ou pela incompetência.
Provavelmente retirando componentes e redirecionando para outros aparelhos.


E se por um lado está cheio de predadores atraindo clientes incautos por os ilusórios "trinta dinheiros", por outro lado está cheio de atravessadores metendo a mão no bolso do cliente e quebrando a guia do profissional de mão cheia, sério e competente.
Simplesmente o atravessador não sabe nem ler um resistor e nem sabe soldar direito. Mas, se mete a querer dar uma de técnico. Pega o aparelho na mão do cliente, fuça, fuça bastante, lhe passa um orçamento de maneira que dê para ele e o técnico que ele vai procurar ganharem dinheiro entendem?
Falando mais claramente; O atravessador cutuca daqui, cutuca dali e não resolve nada. Ele não pegou um "filé" para consertar se deu mal, o cliente já está cobrando o aparelho. Tá demorando muito e agora?
Daí e diante ele é obrigado a jogar a toalha incompetentemente depois de tudo depredado.



Aí na calada da noite e na surdina, atravessam o serviço para um bom profissional os subprodutos da sua ignorância e leiguisse.
Com tais pervertidos vulgarizando a nossa profissão, a população tende a nivelar por baixo não valorizando o verdadeiro profissional. Ex: " Mas seu Joaquim o sr me cobrou 120 reais para consertar meu televisor, e o rapazinho ali me cobrou somente 40 reais".
Aí eu pergunto: Se o aparelho apresentar dentro do prazo de garantia de mâo de obra um outro defeito? Será que o rapazinho vai dar as caras para assumir? Vai querer outro dinheiro? Vai cobrar só o material na camaradagem ? Vai cutucar o aparelho novamente? Vai pedir ajuda? ou nenhuma dessas opções?


Deixo a resposta para vocês e lembrando que tudo que é barato termina saindo caro caríssimo !!
E um detalhe: Quando se conserta um aparelho seja ele qual for, a limpeza interna e externa faz parte do pacote também, coisa que a maioria dos tecnicos desconhecem ou não a fazem por preguiça e eles também tem pena de comprar uma garrafinha de Veja, Cif, um litro de alcoll isopropílico e um óleo spray WD ou White Lub e Pinçeis um pacote de estopa.
Por favor não me venham falar de ética não sou corporativista é por isso que este país não anda bem por conta de certos corporativismos nojentos a exemplo da " POLÍCIA e RODOVIÁRIOS ".
Somente maus e péssimos profissionais descompromissados com a sociedade e a sua cidade, acobertam erros passando a mão pela cabeça de profissionais delituosos.
Isso para mim não passa de corporativismo nojento e podre.

Aí vai uma super dica de um técnico com 30 anos de estrada desde os 15 anos de vida eu aqui o Joaquim prestem bem a atenção:

Se você preza o seu equipamento seja ele um simples contrôle remoto, um celular, um tv, um dvd, um pc qualquer aparelho que lhe pertence, e principalmente um no-break e quer vê-lo saudável novamente? E está a procura de quem realmente possa lhe oferecer um bom serviço?


Tenha muitíssimo cuidado com as ofertas ilusórias, ofertas abaixo do preço...Desconfie não se deixe explorar por meros curiosos ou atravessadores não entregue seu aparelho a qualquer pessoa.


Procure sondar a reputação daquele profissional, verifique se ele é enrolado com a comunidade onde reside ou nas proximidades através do nome dele, se ele gosta de uma cervejinha no mínimo....Caia fora porque vai dá problemas
Técnico em eletrônica não deve ser usuário de alcool na boca.
Seja prudente fale com Deus e o mundo. Consulte amigos solicite o maior numero de referências possíveis.
Dessa forma, você fatalmente se defrontará com uma empresa gabaritada, um profissional autônomo gabaritado ou quiças um ex funcionário dessa ou daquela empresa gabaritada que resolveu botar o seu próprio negócio hem?
Eu por exemplo, trabalhei na Philips do Brasil de 1978 a 1988 foram dez anos de aprendizado de tudo que os amigos possam imaginar: Atendimento externo, trato com o cliente, Olhar aparelhos em garantia dentro dos revendedores e tudo mais.


Mesmo nos dias de hoje, ainda empregado em uma empresa de NoBreaks, muita gente me conhece pela Philips até hoje 35 anos depois e não tenho sossego se eu fizesse a vontade do povo, haja aparelho para consertar, Pcs para formatar, placas mães para reparar. Mas, vou devagar sem muita gula.
Tudo isso graças a uma imagem que eu fiz da minha própria pessoa passei confiança para o povo e comprovei e comprovo graças a Deus.


Na minha visão, o cliente gosta e mereçe comodidade, atendimento, serviço e preço.
Tais atrativos são inquestionáveis e imprescindíveis aliás;


Quando vou ao frigorífico, fico muito satisfeito quando o açougueiro me dá meu filé fatiadinho e sem aquelas gorduras ao redor. Prontinho para ir para a chapa. É isto que o povo gosta !

Quem é que não gosta?


JOSÉ JOAQUIM SANTOS SILVA
jjsound45@gmail.com

jjsound51@r7.com

quinta-feira, 14 de abril de 2016

UM POUCO SÔBRE RESISTORES

Resistores

Resistores elétricos são componentes eletrônicos, cuja finalidade é oferecer oposição à passagem de corrente elétrica através de seu material. A essa oposição é dado o nome de "Resitência Elétrica".

Resistência Elétrica
Símbolo
Unidade
Ohm
Kilo Ohm
K = 10³
Mega Ohm
M = 10exp6
Os Resistores podem ser Fixos ou Variáveis, onde os Fixos são Resistores cuja resistência elétrica não pode ser alterada (apresentam dois terminais), já os Resistores Variáveis são aqueles cuja resistência elétrica pode ser alterada através de um eixo ou curso (Reostato, Potenciômetro).

Identificação dos Resistores
Os resistores são identificados através de um código de cores, onde cada cor e a posição da mesma no corpo dos resistores representa um valor ou um fator multiplicativo.
Cor
1º Algarismo
2º Algarismo
Fator Multiplicativo
Tolerância
Preto
-
0
10exp0
-
Marrom
1
1
10exp1
1%
Vermelho
2
2
10²
2%
Laranja
3
3
10³
-
Amarelo
4
4
10exp4
-
Verde
5
5
10exp5
-
Azul
6
6
10exp6
-
Violeta
7
7
-
-
Cinza
8
8
-
-
Branco
9
9
-
-
Ouro
-
-
10exp-1
5%
Prata
-
-
10exp-2
10%

Exemplos
1º Faixa - Vermelho=2
2º Faixa - Vermelho=2
3º Faixa - Fator Multiplicativo - Marrom=10exp1=10
4º Faixa - Tolerância - Ouro = 5%
Valor do Resistor = 22 x 10 = 220 5%
1º Faixa - Amarelo=4
2º Faixa - Violeta=7
3º Faixa - Fator Multiplicativo - Vermelho=10²=100
4º Faixa - Tolerância - Ouro = 5%
Valor do Resistor = 47x100=4700 ou 4,7K ou 4K7
1º Faixa - Vermelho=2
2º Faixa - Vermelho=2
3º Faixa - Fator Multiplicativo - Amarelo=10exp4=10000
4º Faixa - Tolerância - Ouro = 5%
Valor do Resistor = 22x10000=220000 ou 220K

Como determinar se a tolerância em relação ao valor do resistor
encontra-se dentro da faixa aceitável

Para determinarmos a aceitabilidade de um resistor basta seguir os passos abaixo:
1 - Determine o valor Nominal do resistor a ser medido através do código de cores (RNom);
2 - Meça o resistor com uma Multímetro na escala adequada para o valor Nominal (RMed);
3 - De posse dos dois valores anotados, utilize a seguinte fórmula:

E% = [(RNom. - RMed) / RNom]x100 onde:
E% - Erro Percentual
RNom - Resistência Nominal
RMed - Resistência Medida

4 - Compare o E% com a Tolerância Nominal do resistor. Se o E% calculado estiver dentro da faixa
da tolerância Nominal do resistor, então o resistor encontra-se dentro da faixa aceitável de erro.

Exemplo:
Imagine se desejásemos saber se o resitor acima de 220K encontra-se aceitável.

1 - RNom = 220K
2 - RMed = 217K
3 - E% = [(RNom. - RMed) / RNom]x100 ==> E% = [(220-217)/220]x100 = 1,4% de Erro
4 - A faixa de tolerância do resistor é Ouro=5%, portanto, 1,4% de Erro é aceitável para este resistor.

Associação de Resistores

Associação Série
É quando os resistores são associados um em seguida ao outro, sendo percorridos pela mesma corrente
V = V1+V2+V3
Req = R1+R2+R3
Exemplo

Associação Paralela
É quando os resistores da associação estão submetidos à mesma tensão. Seus terminais estão ligados nos mesmos dois pontos.
Req = 1/[(1/R1)+(1/R2)/(1/R3)] = 50K

Associação Mista
É uma associação onde, temos resistores em série e paralelo.Sendo a Resistência Equivalente, dependente dos pontos de referência.
Req = {1/[(1/R1)+(1/R2)/(1/R3)]} + R4 = 200K


Sendo assim, os resistores podem ser utilizados para:
- Limitar a passagem de corrente elétrica num determinado circuito;
- Gerar uma queda de tensão em determinados pontos de um circuito;
- Gerar calor.

Limitando a passagem de corrente elétrica em um circuito
Imagine um brinquedo, como por exemplo o Autorama. Existe um dispositivo de aceleração, onde quem controla é a pessoa que estiver brincando. Esse dispositivo é formado basicamente por resistências, onde ao passo que se acelera, ou seja, aperta-se o gatilho do acelerador, ocorre uma transição na comutação das resistências internas, da maior para a menor, fazendo com que a corrente aumente ou diminua. Quando o acelerador não estiver apertado a resistência é máxima, ou seja, não liberando corrente o suficiente para fazer com que o carrinho ande na pista, ao passo que quando o acelerador está totalmente apertado, ocorre uma transição para a menor resistência, sendo assim, há passagem de corente total, fazendo com que o carrinho corra ao máximo de sua velocidade.

Gerando uma queda de tensão num circuito
Imagine que você possui uma lâmpada que se acende com uma tensão de 3 Volts e deseja ligar essa lâmpada mas, você possui uma beteria de 12 Volts para alimentar o circuito. Sendo assim, você não pode ligar essa lâmpada com a tensão de 12 Volrs, pois queimará a lâmpada. Então a saída é desenvolver um circuito para fazer com que somente os 3 Volts necessários fique sobre a lâmpada. Para isso, utilizamos um resistor para fazer a função de queda de tensão. Isso é feito colocando-se um resistor em série com a lâmpada de forma a existir, sobre o resistor, uma queda de tensão de 9 Volts, ficando 3 volts restantes sobre a lâmpada.

Gerando calor através de um resistor
Imagine uma estufa para cristal (cristal é um componente vibratório que produz uma frequência alternada muito exata, porém somente se sua temperatura for mantida a uma temperatura constante). Um cristal, um resistor e um sensor de temperatura são alojados na estufa. Quando a corrente passa pelo resistor é produzido calor devido à resitência imposta pelo resistor para a passagem dessa corrente. Caso a temperatura da estufa caia, o sensor imediatamente percebe tal queda fazendo com que a corrente seja liberada, através de um outro circuito, para o resistor. Sendo assim, o resistor começa a se aquecer, mantendo a estufa sempre na mesma temperatura e fazendo com que o cristal funcione adequadamente.

terça-feira, 15 de março de 2016

FORUM PARA DICAS E EXCLARECIMENTOS DE NOBREAKS.

ESTA PÁGINA É DEDICADA PARA O FORUM DE DÚVIDAS A RESPEITO DO FUNCIONAMENTO DE NO-BREAKS.
ESTOU AGUARDANDO AS PERGUNTAS :